Jorge Antunes e o Mundo Verde Casazul, em parceria com Glória Pires: o objetivo é transformar o projeto na primeira franquia de ação social sem fins lucrativos do Brasil

Fotos: Henrique Magro


Negócios nas alturas

E tudo começou aqui

    Em 15 anos, o Mundo Verde se transformou na maior loja de produtos naturais, dietéticos e esotéricos da América Latina e do Hemisfério Sul.
    Quem se lembra das lojas de produtos naturais há duas décadas? Em pontos comerciais muitas vezes sem expressão, freqüentadas principalmente por adeptos da alimentação macrobiótica, ofereciam pouca variedade de produtos nacionais e quase nenhuma opção de importados. Com o tempo, esse nicho ganhou respaldo na valorização da qualidade de vida e no cuidado com a alimentação e a preservação ambiental. Resumo da ópera: só faltava um guru que captasse a mensagem dos novos rumos tomados pelo mercado e atendesse aos desejos dos consumidores. “Percebemos que o ramo ia deslanchar”, explica o engenheiro Jorge Antunes que, com a irmã Isabel e o cunhado Elísio Joffe, não teve medo de apostar no incerto há 15 anos e abrir a primeira loja do Mundo Verde, no Centro de Petrópolis.
    Se o trio nascido na Cidade Imperial foi arrojado ao apostar nesse perfil de comércio, o mesmo se pode dizer do público que o apoiou. Longe do litoral, em um ambiente onde o frio estimula uma alimentação bem diferente do estilo suco-salada-grelhado, o petropolitano aderiu em peso à proposta. Daí a marca deslanchou na cidade, invadiu o Rio e se espalha por todo o País. “Começamos na contramão das teorias de franchising, que apregoam que os negócios devem partir dos grandes centros para os menores”, comenta Antunes. Hoje a rede gera 1.200 empregos diretos e atende diariamente 45 mil clientes, de todas as classes socioculturais, nas 102 lojas (três são próprias, as demais franqueadas) distribuídas em 11 Estados. Destaca-se entre elas a primeira megaloja, com 200 m2, no bairro de Moema, em São Paulo. Aliás, os planos para o futuro na paulicéia são audaciosos: duas novas lojas franqueadas por mês nos próximos três anos. A família também estuda a abertura de uma franquia no exterior, provavelmente na Europa, no final de 2004.
    O arrojo e a coragem, aliados à “filosofia Mundo Verde” de educação alimentar e de consciência eco-social – que Jorge, Isabel e Elísio pregam e na qual acreditam – fez, recentemente, o trio caminhar rumo a três novas frentes de investimento: o projeto Mundo Verde Casazul, o Mundo Verde Sucos e o Mundo Verde Eco-Social. O primeiro, feito em parceria com a atriz Glória Pires, mantém a casa que atende crianças e jovens de comunidades carentes do Recreio dos Bandeirantes, oferecendo cursos e assistência médica, odontológica e psicológica. “Com a tecnologia que o Mundo Verde detém em franchising, queremos transformar o Casazul na primeira franquia de projeto social sem fins lucrativos em nível nacional”, antecipa Antunes.
    O projeto Eco-Social, colocado em prática em Petrópolis e na megaloja paulistana, revende produtos feitos com material reciclado, por internos de diversas instituições como, por exemplo, o Instituto Pinel. Já o Mundo Verde Sucos – que vende hambúrger, cheesebúrger e hot-dog com pão integral e carne vegetal, além de diversos sucos que levam nomes de planetas – é um fast-food de comida natural. “É a materialização de nossa filosofia. Será a lanchonete do futuro”, prevê Antunes. Com pensamento positivo e muito trabalho, o Mundo Verde tem comprovado que comercializar produtos de bom “karma” e propagar nobres ideais traz saúde e prosperidade para os negócios.

Conheça o projeto Mundo Verde Casazul: www.mundoverde.com.br/casazul


Estações de Itaipava © Todos os direitos reservados