No alto, canteiros suspensos de mudas da Reflorestar Brasil. Acima, projeto de reflorestamento em propriedade no Brejal: a empresa está recuperando áreas do município anteriormente degradadas








Sede do Projeto Araras

Fotos: Henrique Magro e divulgação


Preservação: Iniciativa prevê o reflorestamento das margens do Piabanha

Sê-lo Verde

    As margens do rio Piabanha estão prestes a ganhar mudas de árvores nativas da Mata Atlântica em toda a sua extensão, dentro do município de Petrópolis. Trata-se do projeto Sê-lo Verde, idealizado pela empresa Reflorestar Brasil e colocado em prática em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente. A iniciativa, inédita, prevê o reflorestamento de cerca de 100 quilômetros de margens, do centro da cidade até o final do distrito da Posse. A Reflorestar Brasil, com sede em Itaipava, é a maior produtora de mudas de árvores nativas do Estado e especializada em projetos de reflorestamento.
    O objetivo é atrair a iniciativa privada para a revitalização das margens do Piabanha, rio mais importante do município. A idéia é simples: a empresa que adotar 100 metros lineares de margens, que correspondem a cinco mil metros quadrados de área, terá a permissão da Prefeitura para instalar um outdoor no local divulgando sua marca. Além disso, ela será autorizada a utilizar o símbolo Sê-lo Verde (criado pelo cartunista Ziraldo) em qualquer campanha publicitária que desenvolver. Em contrapartida, desembolsará uma verba de R$ 22 mil, em dois anos, que custeará o reflorestamento e a manutenção da área. A expectativa do diretor da Reflorestar Brasil, Mario Lisboa, é de que, até o final do ano, mais de 300 empresas adotem trechos das margens do rio, o que promoverá o plantio de cerca de 150 mil mudas de árvores. “Isso corresponde a, aproximadamente, 30 quilômetros de margens completamente reflorestadas”, explica. Os interessados podem entrar em contato com a empresa pelo telefone (24) 2222-1171 ou conferir uma amostra do projeto na estrada União Indústria 14.999.





Projeto Araras

    Araras tornou-se símbolo de ações política e ecologicamente corretas que podem servir de modelo para toda a serra petropolitana. Por livre e espontâneo esforço, seus moradores e veranistas decidiram cuidar da região e não medir forças para evitar a degradação ambiental. Através da iniciativa conhecida como Projeto Araras – instituído como organização não governamental em janeiro de 2001 – desenvolveram programas de infra-estrutura, saúde, educação, meio ambiente, fortalecimento comunitário e segurança visando a um único objetivo: a melhoria na qualidade de vida de todos.
    O ponto de partida, para a estruturação do Projeto, foi a realização de um censo entre todos os habitantes, em parceria com a Prefeitura. O resultado revelou as carências nos quesitos educação, meio ambiente e infra-estrutura. Assim, a Ong pôde estimular iniciativas como a coleta seletiva de lixo nas escolas e no comércio, e a organização de campanhas comunitárias. O Dia da Faxina é um bom exemplo. No primeiro ano de realização foi responsável pela coleta de 177 toneladas de lixo ao longo da estrada Bernardo Coutinho, nas margens e no leito do rio Araras. Em 2002, o evento prolongou-se por 21 dias, sendo denominado 1º Festival da Limpeza. A programação incluiu palestras para caseiros e moradores de condomínios, além de teatro para crianças e adultos, abordando temas relacionados ao meio ambiente. Resultado: foram recolhidas 59 toneladas de lixo e, hoje, não se vêem mais fogões, geladeiras e carcaças de automóveis boiando nas águas do rio, como se observava anteriormente.
    Não é em qualquer lugar que comerciantes e veranistas se unem aos moradores para cuidar do lugar onde trabalham, passeiam e vivem. Porém, como todo desafio tem seus obstáculos, angariar patrocínios para projetos sociais como este ainda é uma árdua tarefa no Brasil. Por isso, a iniciativa depende de contribuições mensais, que variam de R$ 20 a R$ 100, e de trabalho voluntário para não sucumbir. Assim, mantém-se a sede da Ong, que funciona como Espaço Cultural e onde são realizadas oficinas de trabalhos manuais para a comunidade. Agora, os principais objetivos do Projeto Araras são: construção de uma vila olímpica na localidade, em um terreno de 13 mil m2 doado pela Prefeitura; implantação do sistema Médico de Família e reforma do Posto de Saúde. Não é à toa que, por sua proposta, vem servindo de modelo para a criação de iniciativas semelhantes em outras localidades de Petrópolis.

Projeto Araras: Estrada Bernardo Coutinho, 1550 – Araras • Telefone: (24) 2225-8518 • Site : www.projetoararas.org.br


Estações de Itaipava © Todos os direitos reservados