Pirilampo
























Tai tai
















Alif














É lenha

Fotos: Henrique Magro


Ao sabor da estação

Piquenique...
invente também o seu

    Édouard Manet chocou seus contemporâneos com a obra-prima Le déjeneur sur l´herb. Manet era um gênio, mas sua versão de piquenique foi além do que o senso moral da época podia aceitar. O motivo da celeuma: o nu, até então, era utilizado somente em alegorias ou figuras mitológicas. Pois o pintor retratou pessoas reais, conhecidas na época – entre elas uma senhorita, Victorine Meurend – num flagrante quase fotográfico. Controvérsias à parte, o tema que inspirou Manet também fez suas deliciosas estripulias por aqui. A diferença é que os chefs que apresentam suas versões para um apetitoso piquenique primaveril, nesta edição de Estações de Itaipava, concentraram-se nos pratos. O resto da cena deixaram por conta da imaginação dos leitores.


Pirilampo
    Nomes de restaurantes são componentes essenciais na formação da identidade da casa. Seja uma referência ao dono ou à linha gastronômica adotada, nomeia-se com o que mais identifica a missão do negócio. No Pirilampo, apesar de não ter sido essa a intenção da chef Fernanda Prates, o nome do encantador inseto que emite luz própria veio a calhar para expressar o talento dessa mineira. Formada em gastronomia, ex-estagiária do Café Laguiole, no Rio, Fernanda executa com arte e prazer pratos da culinária francesa, conferindo a eles o sabor da irresistível cozinha de Minas Gerais. Ao imaginar um piquenique ideal para a primavera serrana, criou especialmente para a aventura um guisado de galinha d´angola com uva passa e foie gras, envolto por massa folhada. O apetitoso acepipe é servido sobre repolho roxo e pimenta verde ao molho Champanhe, à base de vinho branco.
    No Pirilampo, a chef aventurou-se por aromas e sabores sem medo de arriscar. Daí surgiram surpresas como o bourguignone de cordeiro com talharim branco e verde ao molho de ervas, a truta com crosta de gouda e raiz de funcho, ou o crepe recheado com sorvete de pistache ao coulis (doce) de frutas da estação. O cardápio ainda apresenta entradas criativas, como o croquete de feijão branco com carne seca e requeijão, ou a moela flambada na cachaça com molho de maracujá. O ambiente rústico, bem decorado e bastante acolhedor, é um atrativo a mais.
Estrada Almirante Paulo Meira, 8.601 - Vale das Videiras
Não aceita cartão
Preço médio por pessoa, sem bebida: R$ 45,00
Aberto 6ª das 17h ao último cliente; sábado das 10h30 ao último cliente; domingo das 10h30 às 18h
Telefone: (24) 2225-3303


Tai Tai
    Leve e picante, saudável e rica em sabores. A cozinha da chef Mu Mu, do exótico restaurante Tai Tai, em Itaipava, reúne vários adjetivos. Os pratos, coloridos e enfeitados, trazem iguarias perfumadas e de sabores surpreendentes, como amendoim combinado ao leite de coco, ou o original molho de ostras sobre filé mignon grelhado, entre inúmeras outras. Como sugestão para um belo e pictórico piquenique serrano, Mu Mu indica o saboroso rolinho primavera vietnamita, massa fresca de arroz com recheio de vegetais e camarões regada por um delicado molho de peixe e limão. No restaurante, a chef cambodjana revela como a culinária da Tailândia, Vietnã, Malásia, Singapura e Indonésia está mais próxima da brasileira do que imaginamos. Seu tempero tropical aproxima a distância geográfica no momento em que mescla frutos do mar, pimenta, frutas e cana-de-açúcar de um jeito novo e irresistivelmente atraente aos sentidos.
    Na casa é possível saborear criações do que se convencionou chamar, em gastronomia, de cozinha fusion, que harmoniza pratos da tradicional e da “nova cozinha oriental” (que dispensa carne de porco e frituras). O resultado são iguarias como, por exemplo, o Pato de Pequim, um clássico chinês, ou o Satay, espetinho de carne ou de frango grelhado com molho à base de amendoim acompanhado de farofa brasileira. No Tai Tai, bom gosto e requinte sem excessos abrem alas para o deleite gastronômico.
Rua das Casuarinas, 70 - Itaipava
Aceita cartão Visa
Preço médio por pessoa, sem bebida: R$ 50,00 Aberto 5ª e 6ª a partir das 19h; sábado e domingo a partir das 12h
Telefone: (24) 2222-5285
reservas@taitai.com.br
www.taitai.com.br


Alif
    A versão de piquenique serrano para Marcelo Sapha, dono do Alif, revela-se entre as abas do pão árabe: sanduíche com kafta (espetinho de carne moída) e homus (pasta de grão de bico) acompanhados de queijo-de-minas padrão, alface, tomate e cebola. No restaurante, há 11 anos em Itaipava, Marcelo colocou em prática o que aprendeu no convívio familiar, agregando ao menu pratos como pizzas assadas no forno à lenha, massas e medalhões de filé mignon.
    Assim, nessa cozinha deglutida e transformada pelo paladar nacional, a picanha, de cordeiro, vem servida com tabule, arroz de lentilhas e fritas. Ali também reinam receitas com nomes cujas grafias são estranhas à nossa língua, mas que há tempos caíram no gosto do brasileiro: haleuah, baba ghanuj e beleuah, ou melhor, pasta de gergelim e de berinjela e folhado com amêndoas. No Alif, o cardápio de iguarias dessa culinária milenar é recheado de sugestões, sempre saborosas.
    Além destas, não há como deixar de citar (já traduzidos, para facilitar) os manjadíssimos quibes e as carnes de caça regadas ao molho de hortelã, acompanhadas de arroz com lentilhas. Pela qualidade dos acepipes, ambiente descontraído e serviço atencioso, a casa é boa pedida para o dia e a noite.
Estrada União e Indústria, 12.694 Itaipava
Aceita cartão Visa
Preço médio por pessoa, sem bebida: R$ 20,00
Aberto de 3ª e 4ª a partir das 17h; 5ª a domingo a partir das 12h
Telefones: (24) 2222-7296 / 2222-0115


É Lenha
    Definitivamente, se a vida nem sempre oferece a possibilidade de infinitas experimentações, tanto no campo afetivo como no profissional, a gastronomia nos reserva esse particular prazer. Tanto é que dois fenômenos culinários com pinta de popstar se uniram para dar origem a uma saborosa criação no É Lenha, em Araras: o pizzadog, versão da publicitária Betoca e do ex-corrredor de Fórmula 2 e 3, Maurício Chulam, proprietários da casa, para o piquenique primaveril na serra.
    Como o nome antecipa, esse inovador híbrido de pizza e cachorro-quente traz a salsicha acompanhada de queijo cheddar, mostarda escura, molho de tomate e cebola em rodelas (só para citar uma das receitas), envolta por massa de pizza assada no forno à lenha. O queijo gratinado e a massa dourada pelo calor das chamas, nesse irreverente hot dog, agradam aos mais variados paladares.
    No jovem É Lenha, o casal elaborou receitas criativas de pizzas, calzones, pizzadogs e massas com o mesmo ideal que os impulsionou a inaugurar o seu já aplaudido restaurante Arboreto, também em Araras. O nome da casa assim como a decoração remetem a um jargão do automobilismo nos anos 70, época em que Maurício arrancava faísca das pistas. “Fazer lenha” significa “fazer miséria” nas corridas, deixando os outros para trás. Conceito bastante apropriado para essa simpática variante do cachorro-quente.
Estrada Bernardo Coutinho, 1.877/loja 15 (Shopping Estação Araras)
Aceita cartões Visa e Mastercard
Preço médio por pessoa, sem bebida: R$ 20,00
Aberto de 4ª a domingo, a partir das 13h
Telefone: (24) 2225-0553



Estações de Itaipava © Todos os direitos reservados