Fotos: Henrique Magro


Tecnologia

Serra virtual

    Internet sem fio via rádio invade Petrópolis
    Em 1995, havia em todo o mundo cerca de 16 milhões de usuários da world wide web. Naquele momento, talvez fosse excesso de otimismo supor que a rede mundial de computadores pudesse chegar a um bilhão de pessoas conectadas em 2005. Hoje, previsões confiáveis apontam para a marca de dois bilhões de usuários em 2010. Viveríamos então em uma "galáxia da internet", semelhante, em potencial de comunicação, à máquina impressora criada por Gutenberg? Se observada sua capacidade de proporcionar a comunicação em escala global, entre muitos, ao mesmo tempo, sim. Que o digam os executivos da Taho, provedor de acesso à internet wireless (sem fio), via rádio-freqüência, instalado no distrito de Corrêas.
    Criada em 2002 pelo ex-banqueiro Luiz Cezar Fernandes, fundador do Banco Pactual e do Banco Garantia, pelo fundador da Breezercom Pablo Brenner, e pelo cientista Sérgio Cabral, a Taho, empresa do Grupo Marambaia, ingressou no mercado na contramão das corporações que disputam o mercado de internet de alta velocidade nos grandes centros. Comendo pelas beiradas, a empresa abocanhou o público das cidades com índice populacional entre 30 mil e 300 mil habitantes, com dificuldade de acesso ou sem acesso algum.
    Logo de início, a estratégia empresarial nocauteou o que analistas da web consideram um empecilho ao desenvolvimento mundial da rede: a pobreza e o atraso tecnológico. Prova disso foi o resultado da investida da Taho na Rocinha, favela da Zona Sul do Rio, feita em parceria com a ONG Viva Rio. Quando a tecnologia estava em fase de testes, Luiz Cezar decidiu verificar a eficácia da conexão sem fios em área de relevo irregular e montanhoso, onde a transmissão por cabo seria inviável. A iniciativa rendeu à embrionária pontocom o prêmio de melhor projeto mundial de inclusão digital da Wireless Communications Association (WCA), entidade que reúne as maiores empresas do setor.
    Hoje, a Taho é líder no provimento de acesso à internet em alta velocidade via rádio nas regiões de Petrópolis, Três Rios e Paraíba do Sul. Em Petrópolis, cobre 18 localidades, conectando residências e empresas à internet sem limite de tempo, mediante o pagamento de assinatura mensal. Da sede da empresa - instalada em uma antiga cocheira, na fazenda do empresário - o Centro de Operações de Rede (NOC) monitora a qualidade da conexão de cada um dos mais de 1.000 clientes, 24 horas por dia, diariamente. O provedor ainda disponibiliza redundância de links (saídas pela Embratel, Telemar e NQT), o que garante mais de 99% de estabilidade da rede.
    "Oferecemos também um serviço pioneiro que é a conexão em rede, dentro da internet, entre várias lojas de uma mesma empresa, sem a necessidade de pagamento de linha privada", explica o empresário. Recentemente, a empresa lançou outro serviço inédito na região: o VOIP. Com ele, o assinante recebe uma linha telefônica, conectada à internet, e não paga o pulso em ligações locais; no caso de interurbano, paga o valor local da tarifa da cidade ou do país. "Desenvolvemos tamanha sofisticação em tecnologia wireless que somos chamados para fazer instalações nos Estados Unidos", complementa.
    No segundo semestre do ano, a Taho será a pioneira no mundo na tecnologia WiMax. Essa tecnologia, também wireless, possibilitará o acesso à internet em distâncias maiores, como zonas rurais de difícil acesso. "Começaremos os testes em Petrópolis. Aqui os recursos tecnológicos e a mão-de-obra são de alta qualidade", conclui Luiz Cezar.






















Estações de Itaipava © Todos os direitos reservados