La Grigio


Olivia e Norma Marinho

Fotos: Henrique Magro

Passarela

Moda de qualidade

    Em Petrópolis, indústrias semi-artesanais criam peças exclusivas que ultrapassam as fronteiras da serra para invadir butiques do Rio, São Paulo, Recife, Brasília e Belo Horizonte. São calçados, bolsas e bijuterias, com cores e modelagens as mais variadas, que revelam uma cidade antenada às tendências de cada estação.

Bijus
    A designer de bijuterias Lúcia Londres fabrica brincos, colares, pulseiras, anéis e broches há mais de 30 anos. Com ateliê em Areal e pronta-entrega de peças de montagem de bijuterias para artesãos, na Tijuca, é antenada às tendências da vez.     “Teremos um outono-inverno bastante colorido, tropical. Flores, detalhes em crochê, padronagens inspiradas no folclore brasileiro estarão em colares, pulseiras, nos broches e enfeites para bolsas e agendas”, explica a designer, que vê na estação outra característica: a customização. “A mulher de hoje quer roupas e acessórios personalizados, feitos exclusivamente para ela”, acrescenta.

Calçados
    Os artesãos Antonio Portilho e Jaqueline Rebello deram o nome da filha à pequena indústria de calçados que inauguraram há 16 anos, em Itaipava. Com produção mensal de 1.000 a 1.500 pares, entre botas, sapatos, sapatilhas e sandálias de couro, a marca Raphaela Rabello tem como clientes butiques femininas na zona sul do Rio, como Invoga (Ipanema) e Atelier Real (Botafogo), em Belo Horizonte e em Brasília.
    “Faço sapatos por encomenda para essas e outras butiques, não só em couro, mas também em tecido, com bordados, miçangas, dependendo do que o estilista escolher”, explica Jaqueline, que já vendeu para lojas de departamento como Sapasso e Mesbla. “Nesse outono-inverno predominarão sapatos de couro verde musgo, vermelho, castor e chocolate, e de tecidos bordados com paetê, miçangas e pedras”, diz a empresária, que cria cerca de 15 modelos de calçados diferentes por estação.

Bolsas
    Bolsas, mochilas, pastas e malas em couro que podem ser vistas em lojas como Armadda, Fernanda Chies, Margot e Borelli, no Rio. Esbanjando talento e profissionalismo, as irmãs Eliane e Adriana Freitas fizeram da La Grigio, em Corrêas, sinônimo de qualidade na fabricação desses acessórios absolutamente indispensáveis. Há 13 anos no ramo, hoje vendem para butiques de Belo Horizonte, São Paulo e Recife, além do Rio, cerca 3.000 peças ao mês, entre bolsas, mochilas, pastas, malas, cintos, agendas, carteiras, chaveiros e porta-batons.
    “O gosto da mulher brasileira varia por região. A carioca, por exemplo, gosta de bolsas pequenas a médias, com alça curta ou transpassada, sem divisória interna, com porta-celular, porta-chaves e bolsinho com zíper para guardar objetos de valor”, conta Eliane Freitas. Segundo ela, na moda outono-inverno vão se destacar bolsas em couro nas cores bronze, prata velha e verde, e detalhes em crochê.
    Se o material é tecido, outra dupla que faz moda em bolsa são as irmãs Olivia e Norma Marinho, em Pedro do Rio. Peças em patchwork e matelassê confeccionadas com padronagens variadas, em tecido 100% algodão lavável, sem risco de manchas, têm clientela cativa entre veranistas cariocas que visitam o ateliê das artesãs.

Lúcia Londres
(24) 8115-3368
lucialondres@gmail.com

Raphaela Rabello
(24) 2221-8728

La Grigio
(24) 2221-3124

Olivia e Norma Marinho
(24) 2223-3521 / 2223-3568

















Estações de Itaipava © Todos os direitos reservados