As instalações da Oca, em Araras: Suíndara (construção octogonal onde se realizam exercícios e meditação) e sede para hospedagem


Fotos: Henrique Magro


Saúde e bem-estar

Uma oficina especial

    Segundo definição do Pequeno Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa, de Aurélio Buarque de Hollanda Ferreira, oficina é um lugar onde ocorrem grandes transformações. Por esse viés, é possível dizer que um espaço para terapias corporais e meditação é também uma oficina? Sim, ao menos essa é a proposta da Oca, Oficina do Corpo e da Alma, em Araras.

    Não é novidade afirmar que questões como violência, ausência de perspectivas profissionais e dificuldades financeiras desestabilizam a estrutura física e emocional, principalmente dos que vivem nos grandes centros urbanos. Daí surgirem problemas como ansiedade, depressão, obesidade, sem contar cardiopatias e vários tipos de câncer. Mas será que as pessoas estão dispostas a olhar para si mesmas e a reavaliar sua conduta diária?
    “As pessoas precisam ‘abrir a cabeça’ para se elevar espiritualmente. É preciso aprender a olhar a natureza, perceber os sons, os aromas, ter tempo para si. A cura emocional e espiritual previne as doenças do corpo físico”, ressalta a terapeuta corporal e conselheira em dependência química Stella Maria de Barros Rebecchi, idealizadora da Oca.
    Auxiliar pessoas em busca do caminho da espiritualidade, ou fortalecer emocionalmente dependentes químicos em processo de recuperação, como também seus familiares, é a principal missão da Oca. “Trabalho há 15 anos como conselheira para dependentes de álcool, drogas, jogo, sexo e, agora, até internet, com distúrbios comportamentais. Nesses casos, utilizamos um projeto especial, denominado Processo Quíron”, explica Stella. Segundo ela, trata-se de um programa de uma semana, voltado para aplicação de hidroterapia, cromoterapia, meditação, acupuntura e ayurveda, entre outros métodos de terapias complementares.
    Além do Processo Quíron, Stella desenvolve a Oficina de Luz, programa de fim de semana dedicado a exercícios físicos, relaxamento, meditação e alimentação equilibrada. “As pessoas se hospedam na Oca e passam três dias voltados a som-terapia, música, dança, cromoterapia, relaxamento, massagens, compressas quentes de ervas específicas para desintoxicação do organismo e se alimentando com produtos orgânicos. É uma experiência transformadora, segundo o depoimento de todos que já vivenciaram a Oficina de Luz”, acrescenta a terapeuta.
    Mas quem imagina um lugar com pessoas entoando mantras se engana. De acordo com Stella, a Oficina não é um centro esotérico. “Somos também pé no chão, apesar de nossa missão ser auxiliar quem busca o caminho da espiritualidade, sugerimos, em certos casos, a continuidade dos trabalhos com profissionais especializados”, esclarece Stella.

Conheça mais a Oca no site www.oficinadocorpoedaalma.com.br


Estações de Itaipava © Todos os direitos reservados