Foto: Selmy Yassuda




Imperatriz Leopoldina - Hotel Solar do Império
Avenida Koeler, 376 – Centro – Petrópolis
Telefone: (24) 2103-3000


Fotos: Henrique Magro

Ao sabor da estação

Para comer como um rei



     Um banquete imperial. Esta é a proposta do restaurante Imperatriz Leopoldina, no Hotel Solar do Império, no Centro de Petrópolis, para comemorar o bicentenário da chegada da família real ao Brasil. Ao longo de todo o ano de 2008, o restaurante irá oferecer um menu especial composto por pratos apreciados pelos regentes.
     A montagem do cardápio é fruto da pesquisa empreendida por dois anos pela chef Cláudia Mascarenhas, que combinou ingredientes trazidos da Europa pelos membros do Império, e incorporados às mesas brasileiras, a outros tipicamente nacionais, que caíram no gosto de D. João VI, Carlota Joaquina, D. Pedro I, D. Pedro II e Princesa Isabel. Para inaugurar o banquete, que faz parte do Menu Mesas Históricas e sofrerá variações durante o ano, a chef selecionou duas sugestões de entradas, pratos principais e sobremesas, baseadas nas culinárias portuguesa, francesa e brasileira.
     O ágape pode ser iniciado pela degustação da Canja do Imperador (caldo de galinha com arroz, legumes, chouriços e ovos escalfados) ou Carlota Joaquina (palmitos frescos com azeite de trufas). A primeira entrada faz homenagem dupla: a D. João, que apreciava frangos, e a D. Pedro II, que não dispensava a canja em suas refeições. Os palmitos, reza a lenda, eram o único motivo de elogio ao Brasil pela imperatriz, que, de tempos em tempos, os enviava para seu irmão na Espanha.
     D. Pedro II, apreciador de carnes, especialmente as de caça; e a Princesa Isabel, responsável por introduzir elementos mais sofisticados à mesa da corte, foram lembrados com as opções para a peça de resistência. Figuram nesta categoria o Arroz Imperial de Leitão Desfiado (com chouriço, maçãs, aipo e especiarias) e o Canard à L’Orange (pato a molho de laranja acompanhado por palmitos grelhados e purê de mandioca).
     Para encerar em grande estilo, outra distinção à princesa redentora, que chegou a se hospedar na construção que hoje abriga o hotel e o restaurante e tinha especial predileção por doces e sorvete de pitanga: o Gateaux Manioc (bolo de mandioca e coco, com sorvete de pitanga). Como opção, uma sobremesa fixa do cardápio do restaurante Trio de Doces Portugueses (ovos moles, toucinho do céu e baba de camelo).
     Como parte das festividades, o Imperatriz Leopoldina reservou ainda um mimo para os clientes. Aqueles optarem pela degustação de uma entrada, um prato principal e uma sobremesa que compõem o Banquete Imperial levam para casa um prato comemorativo do Menu Mesas Históricas, pintado à mão pela artista plástica Ana Lúcia Mourão.















Estações de Itaipava © Todos os direitos reservados