Na releitura de Le jardin d’hiver (O jardim de inverno), ela fez pequenas alterações nas cores, mas manteve toda a riqueza de detalhes do pintor fauvista francês.




O quadro Danseuse dans la fauteuil, sol en damier (dançarina na poltrona sobre tabuleiro de damas), de Matisse, foi fielmente reproduzido pela artista.




Em seu ateliê, Venina mantém um grande acervo de tecidos, linhas e outros materiais reunidos ao longo da carreira de figurinista, herdados de familiares e comprados em viagens.


O casarão da pizzaria Pós-Caipira foi o primeiro trabalho de Venina com a utilização desta técnica mista; a utilização de tecido, rendinhas, bordados e aplicações realçou sua intenção de dar um ar naife ao quadro.

Com as cores da Bandeira Nacional, Venina produziu sua primeira obra sem referências; as bananas foram confeccionadas uma a uma e montadas como um quebra-cabeça no quadro de 60x80 cm.


A réplica, medindo 120x90cm, do quadro Starry Night (noite estrelada sobre o ródano), de Vincent Van Gogh, feita sob encomenda para uma amiga, foi uma das mais trabalhosas; para reproduzir o céu a artista utilizou pontos de bordado.

        Fotos: Henrique Magro e Renato de Mello

Lar, doce lar

Matisse em casa



     Nem todos têm a possibilidade de ostentar nas paredes de casa originais de grandes pintores como Matisse ou van Gogh. E optar por gravuras ou outros tipos de cópias produzidas em série não é a sua, certo? Mas se a reprodução em questão for, também ela, uma obra de arte a coisa muda de figura, não?
     Quase que literalmente. Nos quadros feitos pela artista Venina Sparano, as formas e cores são idênticas às dos originais, mas, ao invés das tintas, as réplicas são produzidas em tecidos, linhas e outros materiais como palha e plumas, por exemplo, aplicados com pontos invisíveis sobre um pano liso.
     A produção começou quando, há cerca de dois anos, Venina resolveu reproduzir com esta técnica – que consiste em uma mistura de pintura, bordado, crochê, recorte e aplicação - a casa em estilo colonial que abriga a Pizzaria Pós-Caipira, que ela e o marido Renato Peixoto de Mello inauguraram no centro de Pedro do Rio em 1991 e onde está hoje a maioria dos quadros, alguns deles à venda. Os amigos e clientes começaram a elogiar o trabalho e a fazer encomendas para que a artista criasse obras que retratassem suas próprias residências.
     Munida de uma máquina fotográfica e de muita sensibilidade, ela começou a visitar as casas para reunir o material necessário para a montagem dos quadros. Além da fotos, a percepção acerca das preferências de seus moradores por um cantinho especial e ainda por animais ou outros elementos do lugar formam os conceitos básicos para que ela retrate estes universos de forma especial e mesmo lúdica, por se tratar de uma interpretação.
     Daí para testar novas experiências e iniciar uma série de releituras das obras do pintor fauvista francês Henri-Émile-Benoît Matisse foi um pulo. “Enquanto atendia às encomendas, uma dia, folheando um livro, vi uma pintura dele que me chamou a atenção pelas cores e estampas dos tecidos das roupas das figuras retratadas e também de tapetes, cortinas e outros elementos. Resolvi experimentar recriar o quadro usando tecidos e deu certo”, conta.
     Pouco menos de um ano depois, com 10 originais do artista reproduzidos por ela, o casal inaugurava no segundo andar da pizzaria um espaço para exposições com a mostra Matisse em tecido. O sucesso da exposição, que resultou na venda de todos os quadros, foi mais um incentivo para a artista continuar a investir nas réplicas e ainda a criar obras próprias, sem referências de outras imagens.
     Atualmente, Venina, que é também arquiteta e figurinista – seu currículo inclui o figurino de diversos videoclipes para o Fantástico e também novelas produzidas pela Rede Globo – prepara mais uma leva de trabalhos que reproduzem obras do pintor francês (que, assim como ela, também colecionava tecidos e chegou a trabalhar com estamparia) para uma segunda exposição, ainda sem data ou lugar estabelecidos.
     Por enquanto, parte do acervo, que fica em exposição permanente na pizzaria, pode ser apreciada nos salões do restaurante de quinta a domingo, a partir das 18h.

Pizzaria Pós-Caipira
Estrada União e Indústria, 19.668 – Pedro do Rio
(24) 2223-1286
pizzaria@poscaipira.com.br



Estações de Itaipava © Todos os direitos reservados