A pêra temperada com pimenta-do-reino, noz moscada e hortelã vem acompanhada por massa folheada recheada com creme de baunilha e amêndoas torradas e é servida com molho de chocolate ao vinho tinto.










Picanha de avestruz ao molho paris, com pimenta de biquinho, escoltada por purê de inhame e brócolis: casamento perfeito de sabores.



Creme de mandioquinha com gorgonzola



Para gratinar o creme de mandioquinha com gorgonzola, Barão usa o maçarico, aplicando a mesma técnica de confecção do Crème Brûlée.






Fotos: Henrique Magro

Ao sabor da estação

Barão gastronomia

Nobreza nos mínimos detalhes

     Some uma construção de 1931 com uma bela decoração, um chefe talentoso e simpático, o sabor incomparável da carne de avestruz e a possibilidade de reunir em um ambiente exclusivo um grupo para celebrar qualquer coisa (nem que seja o fato de apreciar a boa comida), e a fórmula resultará no Barão Gastronomia. Esta foi a equação adotada por Alessandro Vieira, mais conhecido como Barão, para montar seu original restaurante no município de Areal.
     As singularidades começam pela localização da cozinha, instalada no meio do salão. Dali, enquanto prepara as maravilhas para o deleite dos comensais e conversa com eles, o chefe acompanha o serviço nos mínimos detalhes. E olha que não são poucos: entre outras delicadezas, as bebidas, mesmo os prosaicos sucos e refrigerantes, são invariavelmente levadas às mesas em jarras. A apresentação dos pratos, que beira a perfeição, é outro ponto forte do chef, que se autodefine como um “detalhista enjoado”.
     Não é para menos, seu currículo inclui passagens pela Locanda della Mimosa (do chef Dânio Braga), por restaurantes de grandes hotéis como o Copacabana Palace (na boulangerie e patisserie), Rio Sofitel e Hôtel de Crillon (Paris), além de um período com o chef Claude Troigros e ainda em algumas pousadas da região serrana.
     O restaurante funciona apenas com reservas, para grupos de no mínimo oito e no máximo 30 pessoas, e os almoços ou jantares preparados por Barão seguem o sistema de “menu degustação”. São seis ou oito pratos, de acordo com o combinado no ato da reserva, que obedecem à seqüência: coquetel, entradas, couvert, pratos principais (intercalados por sorbets, para limpar o paladar) e sobremesas.
     Embora sirva também pratos elaborados com pescados e carnes diversas, inclusive as exóticas, a especialidade é a carne de avestruz (picanha, steak, filé, filé-leque e outros cortes) e a ave, com sabor e textura semelhantes aos da carne bovina, não brilha apenas no cardápio. Na decoração são utilizados os ovos e o couro do animal, que, em diferentes cores e tamanhos, é também comercializado ali.
     Além do restaurante, Alessandro gerencia a empresa Cortes Finos, para a qual desenvolveu produtos derivados da avestruz como presunto, patê de fois, lingüiça, almôndega e carpaccio. “Esta é a carne do futuro, a carne da geração saúde; em comparação com outras, tem muito menos colesterol e calorias; seu teor de gordura é muito baixo, o que faz com seja uma ótima opção para quem precisa controlar o consumo de carnes vermelhas”, diz com empolgação.
     O restaurante pode ser considerado um templo da alta gastronomia, não só pela qualidade das refeições servidas ali, mas também por sua tradição de realizar cursos ministrados por grandes chefes da região serrana e de todo o Brasil. A sortida programação inclui oficinas temáticas, que privilegiam a culinária dos quatro cantos do mundo e ainda pizzas, sobremesas francesas, saladas, coquetelaria clássica e outros. Ao longo de 2008 foram realizados ali os cursos que integram o programa Sabores do Mundo - uma viagem gastronômica, que, além das aulas práticas, inclui preleções sobre a história, a cultura e a gastronomia dos países apresentados.      O ponto de partida foi o Brasil, com o curso ministrado pelo chef Vicente Teixeira, da Estalagem do Sabor, em Tiradentes (MG). Em seguida vieram Espanha, (Paquito, Parador Valência), Portugal (Ana Roldão, Petit Palais), Grécia (Rula Simões, Solar Fazenda do Cedro); Itália (Toninho, Zafferano), Suíça (Dical, Dical Braconot) e França, com o próprio Barão. Até o final do ano estão previstos ainda passeios pelas cozinhas Tailandesa e Alemã, além de um curso voltado para a gastronomia e organização de festas de Reveillon.

Barão Gastronomia
Rua Afonsina, 272 – Areal
Reservas (com 48 horas de antecedência):
(24) 2257-2858
(24) 8803-9387



Estações de Itaipava © Todos os direitos reservados