Renata Assumpção - Consultório Corpo e Mente









Tatiana Cardoso - Duo Pilates Studio







Pilates Ana Paula Magalhães


Fotos: Henrique Magro

Saúde e bem-estar

RPG e Pilates

    Para aumentar a percepção corporal e o condicionamento físico

     O verão chegou e - mais do que aquele momento em que nos preocupamos em eliminar gordurinhas extras para não fazer feio na praia ou na piscina – esta pode ser a ocasião ideal para uma reavaliação de hábitos poucos saudáveis e vícios posturais que acabam transformando-se em problemas crônicos.
     Dois métodos relativamente recentes, aplicados por fisioterapeutas e profissionais de educação física, estão à disposição daqueles que sofreram algum tipo de lesão e, muitas vezes, por conta disso, evitam a prática de exercícios. A Reeducação Postural Global (RPG) e o Pilates são práticas distintas - mas, de certa forma, complementares - e que proporcionam grandes benefícios também para os que elegem o condicionamento físico como forma de elevar a qualidade de vida.
     O método RPG, criado na década de 80 pelo francês Philippe Souchard, surgiu como um ramo da fisioterapia para trabalhar as desarmonias corporais causadas por compensações do corpo, que ao sofrer algum tipo de lesão procura naturalmente retomar o equilíbrio e acaba modificando sua estrutura original. A fisioterapeuta Renata Fernandes de Assumpção, do Consultório Corpo e Mente, em Itaipava, explica: “a diferença entre a fisioterapia convencional e o RPG é que a primeira trata apenas o problema e o segundo, a causa que o originou”.
     A primeira etapa do tratamento consiste na identificação do motivo de dores e desconfortos ou ainda de problemas crônicos ou congênitos. Em seguida, considerando todo o sistema esquelético-muscular, a terapia é aplicada ao corpo de forma global, e não apenas nos pontos lesionados ou críticos, através de exercícios, que são realizados sempre individualmente e que privilegiam a percepção corporal e o alongamento.
     “Em um caso de pé plano (mais conhecido como pé chato), por exemplo, o indivíduo pisa para dentro, alterando toda a estrutura do corpo, a começar pelos joelhos - o que implica em alterações no quadril e assim por diante, podendo até evoluir para uma dor lombar. Então, procuramos corrigir sua postura para que ele consiga um novo equilíbrio e o arco dos pés seja aumentado”, esclarece a fisioterapeuta.
     Embora seja uma das técnicas aplicadas na fisioterapia, a RPG pode também ser adotada como medida preventiva de problemas ou apenas como forma de se manter a postura correta do corpo. Geralmente as sessões, que duram uma média de 50 minutos, acontecem duas vezes na semana quando o paciente está em crise e vão diminuindo para freqüências semanais, quinzenais ou mensais, de acordo com os resultados.
     “Alguns pacientes recebem alta, mas mantêm sessões mensais como forma de prevenção, para que o problema não reapareça. Para aqueles que preferem atividades mais dinâmicas, sempre sugiro o Pilates como forma de dar continuidade ao tratamento, uma vez que esta prática, assim como a RPG, também trabalha a postura, a respiração e a percepção corporal. É uma dobradinha perfeita”, considera a fisioterapeuta, que em seu consultório oferece também o Pilates, além de outras atividades como ioga e terapia com florais.
     A professora de educação física e membro da Associação Brasileira de Pilates, Tatiana Cardoso, do Duo Pilates Studio, em Petrópolis, concorda em gênero, número e grau com a fisioterapeuta. Precursora na aplicação do método na cidade, ela ressalta que normalmente há uma associação equivocada do Pilates com a RPG e outras técnicas utilizadas na fisioterapia.
     “Enquanto a fisioterapia é um tratamento empregado para recuperar movimentos e como apoio na convivência com alguma patologia, o Pilates é, principalmente, um método de condicionamento físico. Ele promove uma série de benefícios para o corpo e a mente e visa à formação da consciência corporal - o que capacita seus praticantes à percepção global, com qualidade de movimentos realizados de forma eficiente, equilibrada, econômica e confortável. O que não exclui a possibilidade de sua utilização como forma de reabilitação, desde que orientado por um fisioterapeuta especializado no método”, compara a professora.
     Ela lembra que quando se procura uma atividade, é essencial que se defina primeiro o objetivo - condicionamento físico ou fisioterapia – e também a real motivação para a sua prática. “Através do Pilates, ambos os objetivos podem ser alcançados, bastando para isso, entretanto, que se saiba qual o profissional e o local indicados para cada caso”, diz. No Duo Pilates a prioridade é o condicionamento, mas sua equipe – formada principalmente por profissionais de educação física e dança - inclui também uma fisioterapeuta.
     Desenvolvido pelo alemão Joseph Hubertus Pilates, no início do século XX, o método – baseado nos princípios de concentração, centramento, respiração, fluidez de movimentos, controle e precisão - busca o desenvolvimento e o aprimoramento das aptidões físicas, através de um trabalho elaborado e contínuo para um condicionamento físico harmonioso e melhoria da qualidade de vida. Desde que foi criado - a projeção internacional começou com a inauguração do The Pilates Studio em Nova York, por seu próprio idealizador -, o método passou por aperfeiçoamentos e ganhou adeptos no mundo inteiro.
     Com a utilização de aparelhos especiais e através de exercícios com baixos níveis de esforço e impacto (a possibilidade de lesões é praticamente nula), o Pilates é indicado para todas as pessoas acima dos 12 anos de idade. Não há contra-indicações. São cerca de 500 diferentes exercícios praticados em camas, cadeiras e plataformas com molas ou ainda no solo, com a utilização de bolas e outros acessórios.
     “As aulas de solo (ou Matt) – que duram cerca de 50 minutos e podem ser ministradas para grupos de até sete pessoas - são mais dinâmicas e requerem mais força, equilíbrio e coordenação. Normalmente, eu não deixo nem entrar quem nunca passou pelos aparelhos. É necessário que os alunos fiquem pelo menos três meses neles antes de fazer as aulas de solo”, afirma a fisioterapeuta Ana Paula Magalhães, proprietária do estúdio de Pilates que leva seu nome.
     Ela também acredita na eficácia do método de ginástica como complementação ideal para o tratamento de lesões. “Eu trabalhava apenas com RPG e tinha muita dificuldade em dar alta para meus pacientes porque sabia que eles poderiam ter novas crises com o passar do tempo. Por isso, procurei o Pilates”, conta. Hoje, além do método de ginástica e da RPG, ela oferece ainda serviços da área de estética no espaço inaugurado há cerca de cinco anos em Itaipava.

Consultório Corpo e Mente Estrada União e Indústria, 11.775/sobreloja 2 Green Shopping – Itaipava Telefone: (24) 2222-3983

Duo Pilates Studio Rua Aureliano Coutinho, 67/sobreloja 3 Serra Shopping – Centro – Petrópolis Telefone: (24) 2244-7050.

Pilates Ana Paula Magalhães Estrada União e Indústria, 9300/cobertura 04 Shopping Bouganville – Itaipava Telefone: (24) 2222-7810












Estações de Itaipava © Todos os direitos reservados