Campo de mostarda no interior do R.G.do Sul.
Foto: Alessio Dionisi

Flor de mostarda.
Foto: Elianela Horta

Andréa Jordão
































Veronique Simottel


        Fotos: Henrique Magro

Saúde e bem-estar

Mostarda

Ela não é só saborosa, é também superpoderosa!

     Muito embora o conhecimento acerca dos benefícios para a saúde do consumo de determinados alimentos remonte há mais de 2,5 mil anos – na Grécia antiga o estudioso da medicina Hipócrates já apregoava: “faça do alimento o seu medicamento” - foi a partir do final do século XX, mais precisamente na década de 90, que a comunidade científica internacional intensificou as pesquisas sobre alguns nutrientes e sua relação com a prevenção de doenças.
     Deste período para cá, muito se tem falado sobre os alimentos funcionais – aqueles que, de acordo com a Sociedade Brasileira de Alimentos Funcionais (SBAF), “além das funções nutricionais básicas, quando consumidos como parte da dieta usual, produzem efeitos metabólicos e/ou fisiológicos benéficos à saúde”. Desde então, produtos que contêm componentes ativos como o ômega 3, encontrado em alguns peixes marinhos, e a isoflavona, presente na soja e seus derivados, transformaram-se em itens fundamentais de um cardápio saudável.
     A mostarda, nem todos sabem, é também considerada um destes alimentos; suas folhas, sementes e o óleo extraído destes grãos são capazes de proporcionar resultados muito positivos para o organismo. A nutricionista do Espaço Clínico, Andréa Jordão, especializada em nutrição clínica, explica que sua principal qualidade é o efeito antiinflamatório, mas o consumo em suas diferentes formas traz diversos tipos de benefício.
     “As folhas deste vegetal, além de pouco calóricas (cada porção de 100gr fornece 28,6 calorias), são muito ricas em cálcio e ainda contêm vitaminas do complexo B (B1 e B2), vitamina C, betacaroteno (provitamina A), fibras, fósforo, ferro, enxofre e potássio. Seu consumo regular estimula o metabolismo e a produção de energia. Elas também protegem a pele, fortalecem as defesas do organismo e são descongestionantes e expectorantes”, diz.
     Dos grãos da mostarda é que se pode obter com maior intensidade a ação antiinflamatória e, quando consumidas regularmente, as sementes podem ser importantes aliadas no combate a doenças como câncer, diabetes, doenças cardiovasculares, obesidade, doenças respiratórias, alergias, artrites, entre outras. “Uma dieta rica em alimentos com esta ação pode prevenir e bloquear inflamações, fortalecendo o sistema imunológico e o equilíbrio de todas as funções básicas do organismo”, ensina a especialista. Ela observa que a utilização do óleo - em saladas ou como ingrediente de molhos frios, uma vez que a elevação de temperatura altera suas propriedades - gera os mesmos ganhos.
     A recomendação da nutricionista para o consumo benéfico deste alimento é uma porção diária de 200 gramas (equivalente a 6 colheres de sopa ou 1 xícara) de folhas cozidas ou 1 colher de chá da pasta produzida com os grãos. Ainda outro detalhe: a pasta de mostarda, quando preparada artesanalmente, sem adição de conservantes ou outros aditivos químicos, pode ser uma ótima substituta para o sal – comprovadamente um causador de diversos males e doenças – sem que haja prejuízo ao sabor dos pratos.
     Para promover a saúde e a qualidade de vida, as terapias alternativas também se utilizam da mostarda. Nos florais, sua essência é indicada para ajudar a iluminar a alma e proporcionar alegria. Há também aqueles que atribuem propriedades afrodisíacas a sua semente, mas esta já é outra história.


TRADIÇÃO FRANCESA EM ITAIPAVA
     Há cerca de 15 anos, a parisiense Veronique Simottel, radicada em Itaipava desde o início da década de 90, produz aqui uma pasta de mostarda que já entrou para o rol dos mais apreciados produtos tipicamente serranos. Não é difícil encontrar a iguaria na composição de pratos elaborados por diversos restaurantes e pousadas locais e também em delis e mercados da região.
     A produção, que hoje chega a cerca de 3 kg por mês, é totalmente artesanal e segue a tradicional receita francesa da mostarda do tipo anciene, em que os grãos roxos inteiros são misturados a ingredientes como vinagre, azeite e sal. Veronique começou a fabricar o condimento quando morava em um sítio em Secretário, onde mantinha uma horta e um apiário, de forma bastante espontânea.
     “As flores da mostarda eram polinizadas pelas abelhas e, com isso, o vegetal começou, naturalmente, a crescer em profusão no sítio. Folheando um livro muito antigo, descobri uma receita que, sem indicar as proporções, apresentava os ingredientes da verdadeira mostarda francesa. Comecei a misturar estes ingredientes e fazer testes para chegar à fórmula que emprego até hoje”, conta.
     Atualmente Veronique não mantém cultivo próprio, mas continua a utilizar o grão roxo, mais picante do que as outras duas variedades – branca e negra - encontradas nas plantas. Ela indica o consumo da pasta em churrascos e carnes grelhadas em geral, molhos – “misturar uma colher de chá da mostarda à mesma proporção de mel e adicionar ao molho vinagrete dá um excelente resultado”, sugere – e ainda pura sobre cubinhos de queijo branco.
Mostarda da Veronique:
(24) 2222-3406
(24) 9829-2002

Fontes:
www.sbaf.org.br
www.sensibilidadeesabor.com.br


Voltar


Estações de Itaipava © Todos os direitos reservados