Papagaio Ecletus (macho) - Eclectus Roratus

O carinho dispensado às aves no Terras Papagali faz com que espécies como o Papagaio Ecletus (Eclectus Roratus) não tenham medo da proximidade com os humanos

Marianinha de Cabeça Amarela - Pionites Leucogaster

Ararajuba - Guaruba Guarouba

Nos cinco viveiros espalhados pelo criatório estão reunidas aves reprodutoras de espécies como a Jandaia Sol (abaixo) e a Ararajuba (acima), além de outras que não fazem parte da fauna nativa

Jandaia Sol - Aratinga Solstitialis

Jandaia Verdadeira - Aratinga Jandaya

O criatório é totalmente equipado para oferecer as condições ideais para o desenvolvimento das aves desde os seus primeiros dias de vida

Jandaia Mineira - Aratinga Auricapilla

Jandaia Mineira - Aratinga Auricapilla

A alimentação dos filhotes merece atenção toda especial dos funcionários do Terras Papagali, que procuram reproduzir fielmente a forma como as refeições são oferecidas pelos pais aos pequenos




Fotos: Henrique Magro

Mundo Animal

Terras Papagali



     Imagine um lugar idealizado para a criação e preservação de aves, com uma estrutura totalmente planejada para oferecer todos os cuidados necessários ao desenvolvimento saudável e ao bem estar de diferentes espécies de Psitacídeos (representados por papagaios, araras, periquitos e outras que apresentam o bico alto e recurvado com cera na base e pés zigodátilos, com dois dedos voltados para frente e dois para trás), integrantes da fauna brasileira e também oriundas de diversas partes do planeta. O projeto - que a princípio parece ter sido concebido e desenvolvido em outras terras que não estas descritas nas antigas cartas de navegação como Terra Papagali – foi idealizado e implantado aqui mesmo em Itaipava.
     O Terras Papagali é um criatório que nasceu dos sonhos de Carlo Ferrentini de estabelecer um negócio auto-sustentável em sua casa de campo e que está em funcionamento desde 2004. “Primeiro pensamos em pousada, depois migramos para um criatório de cobras. Por fim, uma amiga ligada ao RENCTAS (Rede Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres) sugeriu um criatório de papagaios. Achamos a idéia interessante, mas não tínhamos qualquer idéia do trabalho que teríamos pela frente”, comenta o empresário.
     E põe trabalho nisso. Além de montar uma estrutura que correspondesse perfeitamente bem às necessidades dos animais – viveiros, chocadeiras, incubadoras, filtros para tratamento de água, cozinha para o preparo adequado de alimentos de filhotes e adultos, entre outros detalhes – Carlo teve de transpor barreiras burocráticas. “Desenvolvi um projeto com plantas de viveiros, ficha biológica de cada espécie, sistema de manejo, processos etc. Dei entrada no IBAMA do Rio e aguardei praticamente dois anos pela autorização de manejo (licença para criação). Não é tarefa fácil e hoje está muito raro de se conseguir”, observa.
     Com a certificação concedida pelo IBAMA (todas as aves são anilhadas e registradas no órgão), outro problema enfrentado foi a própria natureza. “Tivemos basicamente o clima contra nós, mas conseguimos vencer este obstáculo e hoje temos aves bem resistentes”, diz Carlo. Além de uma maternidade para onde são levados os filhotes - com o objetivo de promover seu desenvolvimento em condições ideais no concerne à temperatura, níveis de umidade, iluminação, etc -, atualmente são cinco viveiros que abrigam 141 aves reprodutoras.
     Entre as espécies estão as nativas Papagaio Barbadensis (Amazona barbadensis), Jandaia Mineira (Aratinga auricapilla), Periquito Rei (Aratinga áurea) e muitas outras, e também exóticas como, por exemplo, a Cacatua (original da Oceania e do sudeste asiático). O criatório também mantém aves ameaçadas de extinção, como a belíssima Arara Azul (Anodoryncus hyacintinus). São cerca de 30 diferentes espécies de Psitacídeos que compõem o banco genético do criatório.
     Outro aspecto apontado pelo criador como um problema – e este ainda não solucionado – é a desinformação. De acordo com ele, é comum potenciais clientes duvidarem da conformidade legal do trabalho que realiza. “Muitos chegam com a mesma retórica: qual é o jeitinho que você dá para vender estas aves? Não é ilegal?”, lamenta. E o embaraço, segundo ele, é causado pelos próprios órgãos ambientais.
     “Existe uma propagação demasiada da proibição, um ‘não pode’ arbitrário quando se divulga que comprar aves é crime ou que de cada uma adquirida no tráfico outras 10 morrem. Sinto mais força em campanhas positivas, do tipo: de cada ave adquirida de um criatório legalizado você salva 10 da extinção ou compre somente ave legal”, sugere.
     Os planos de Carlo para tentar reverter o quadro incluem a implantação de duas ocas (como as indígenas), uma com aves soltas para interação com visitantes e outra para a realização de palestras ambientais ministradas para crianças, especialmente de escolas públicas. “Mas queremos mais, queremos ainda desenvolver permacultura (método holístico para planejar, atualizar e manter comunidades ambientalmente sustentáveis, socialmente justas e financeiramente viáveis), horta orgânica e medicinal, horta coletiva, minhocultura residencial e outros projetos”, conta.
     Para concluir, o criador deixa uma mensagem que resume bem os seus propósitos em relação ao trabalho que realiza. “Estas aves, ao longo dos séculos, foram caçadas e muitas deixadas à beira da extinção; outras tantas foram extintas. É nítido que o homem destrói e constrói e ficamos felizes de estar do lado de quem constrói. Por isto resolvi começar esta célula de conservação e atuar como mantenedor do banco genético da Fauna Silvestre e Exótica. Isto mesmo, o projeto se estende a outros países. Nossas fronteiras são ilimitadas, assim como as aves. Resolvemos bater as asas bem longe. Temos Pscitacídeos de alguns cantos deste nosso velho mundo. Trouxemos suas cores, seus cantos e suas falas para um pedaço deste recanto maravilhoso que é Itaipava”.
     Não só Itaipava, mas toda a “Terra Papagali” agradece penhoradamente.

Nossos agradecimentos a Leandro Helal Habib, gerente do Terras Papagali , cuja inestimável colaboração tornou possível a realização desta matéria.


Criatório Terras Papagali::
(24) 2222-9288 / (21) 9307-4734
www.terraspapagali.com.br

Voltar Próxima matéria


Estações de Itaipava © Todos os direitos reservados