Carlos Parada

Funcionalidade e praticidade também são essenciais na hora de exibir os dotes culinários: a pedido do cliente, Parada incluiu no projeto de reforma da cozinha armários embutidos sem portas na bancada. Outra exigência do programa, cumprida à risca pelo arquiteto, foi a visão ampla dos ambientes internos e externos da casa

A transformação de uma janela que separava a cozinha americana da sala de jantar em uma ampla bancada aberta foi a solução encontrada por Carlos Parada para permitir a total integração do “chef” com os convivas

Os bancos colocados próximos à bancada, onde foi instalado o cooktop, permitem uma observação bem atenta do preparo dos pratos e ainda a integração com a sala de jantar, que ganhou maior amplitude com a reforma


Studio da Mata

Materiais de demolição e elementos decorativos adquiridos na região e em várias partes do mundo conferem um estilo rústico ao ambiente onde a família se reúne para preparar e degustar as refeições. Para evidenciar o estilo, Alexandre Sodré utilizou no projeto estrutura de madeira aparente no telhado, revestimento de pedra nas colunas, tijolos maciços nas paredes e piso cerâmico

A bancada de apoio e o paneleiro suspenso garantem a praticidade da cozinha que abriga, além do cooktop, a churrasqueira e o fogão à lenha

Na reforma projetada pelo Studio da Mata, a residência ganhou uma nova cozinha, com cerca de 100m2, construída no nível do gramado; além de reunir gastronomia e lazer, o espaço permite ainda a integração com o jardim através de portas envidraçadas. O acesso ao “ranchão”, apelido que ganhou dos proprietários, é possível também pelo interior


Fotos: Henrique Magro

Lar, doce lar

Cozinha Gourmet



     Criatividade, técnicas apuradas, bons equipamentos e ingredientes de qualidade fazem a combinação ideal que o preparo de pratos elaborados para servir a convivas nos fins de semana, ou mesmo para reunir a família em torno da mesa em qualquer ocasião, exige. Mas a receita fica mesmo completa quando, além de tudo isso, o responsável por orquestrar o banquete — não na acepção usual da palavra, mas com a ideia de boa comida saboreada em clima de festa — não fica restrito a um ambiente isolado, de onde saem os quitutes e permanecem pilhas de panelas e apetrechos à espera de um funcionário contratado para a tarefa ou de uma boa alma que se disponha a encarar solitariamente a pia engordurada.
     Pois é, as cozinhas mudaram. Pelo menos para os que enxergam a gastronomia, com todas as suas dores e delícias, como uma atividade de comunhão, este lugar, antes considerado como uns dos menos nobres da casa, ganhou status de centros de convivência e lazer. E como tal, passou a ocupar posição de destaque nos projetos arquitetônicos. “Hoje é bastante comum recebermos dos clientes programas (indicações sobre o que é esperado do projeto) para construções ou reformas em que a cozinha é o ponto de partida para todo o projeto”, afirma o arquiteto Carlos Parada, do escritório de mesmo nome, em Araras.
     Para isso, não são medidos esforços. Muitas vezes os arquitetos precisam fazer verdadeiros malabarismos e mexer até na parte estrutural da construção. Natural, uma vez que para os amantes da gastronomia informal a cozinha costuma ser a parte mais nobre da casa e o lugar onde se passa a maior parte do tempo.
     E nos projetos, nenhum detalhe escapa. Da localização, que permite ao chef de plantão cozinhar enquanto participa de tudo o que acontece nos ambientes próximos, e mesmo na área externa da casa, à disposição de fogões, pias, geladeiras, balcões, armários, prateleiras e tudo o mais que facilite a confecção dos acepipes, tudo é pensado de forma a permitir que haja a maior integração possível entre quem está preparando os pratos e os que aguardam para provar as especialidades da casa.
     Outro aspecto importante nas cozinhas integradas é a possibilidade de se isolar estes ambientes em determinados momentos. “Procuramos sempre incluir janelas e também pontos para a instalação de coifas eficientes para evitar a exalação de odores e ruídos indesejáveis para outros ambientes”, observa Alexandre Sodré, do Studio da Mata, escritório de arquitetura em Itaipava. A decoração — que pode seguir o estilo rústico, bastante comum aqui na Serra; ou high tech, para os adeptos do estilo futurista como o representado pelo lar dos Jetson, a família do desenho animado – é outro elemento que não pode ser esquecido.
     Os projetos que mostramos aqui, ambos para residências em Araras, têm diferentes concepções. Um transforma a cozinha já existente em parte da área social da casa; outro incorpora esse ambiente à construção já existente, de forma que seja ele o centro das atenções. Não importa a forma. Desde que todos possam participar juntos da brincadeira, até lavar panelas engorduradas acaba sendo algo divertido.

Carlos Parada
Est. Bernardo Coutinho, 1741 - Araras
Tel: (24) 2225.1213 | Fax: (24) 2225.1214
cada.parada@oi.com.br


Studio da Mata
Est. União e Indústria, 11.255 - Itaipava
Tels: (24) 2222.4643 e 2222.5046
www.studiodamata.com.br


Voltar Início


Estações de Itaipava © Todos os direitos reservados