Além dos seis sabores de patê à base de fígado de frango já disponíveis no mercado, a Coisas da Fazenda prepara o lançamento do patê confeccionado com fígado de marreco

Todos os funcionários da empresa são moradores do Vale do Cuiabá, localidade de Itaipava que sediava a antiga fábrica destruída pelas enchentes de 2011


Os patês são comercializados em embalagens com porções diferenciadas para atender a tipos distintos de clientes

Atualmente a fábrica produz ao mês 3 mil Kg de patê, sem a introdução de gorduras trans; em sua composição entra apenas a gordura de extrato de palma




A dosadora semiautomática foi adquirida ainda no Vale do Cuiabá e só agora começa a ser utilizada na produção. A máquina proporciona dosagem eficiente, diminuindo em dez vezes o tempo gasto para o processo de embalagem das pastas e patês


O pão de alho é também livre de gorduras trans e o alho in natura utilizado na receita confere um sabor mais atuante à iguaria




Fotos: Henrique Magro

Negócios nas alturas

Coisas da fazenda

Modernização de processos e lançamento de produtos marcam o renascimento de empresa fundada no Vale do Cuiabá

     Um momento de grandes novidades é o que experimenta a empresa familiar Coisas da Fazenda, produtora de patês e outros quitutes tradicionais de Petrópolis, fundada em 1980. Administrada pelo jovem empreendedor Raphael Capua há nove anos, a fábrica foi totalmente destruída na catástrofe de janeiro de 2011 e apenas 45 dias depois já funcionava em suas novas instalações, em um condomínio industrial de Itaipava.
     Além do novo endereço, novos equipamentos, que permitiram um incremento significativo no volume de produção; novos projetos, que incluem o lançamento de produtos e um plano de marketing completo; e uma percepção bem clara do que significa a responsabilidade empresarial estabeleceram esta nova conjuntura da tradicional empresa petropolitana.
     A perda das instalações, que havia acabado de receber novos equipamentos e ainda outros investimentos em sua estrutura, quase determinou o fechamento da fábrica, mas seus proprietários optaram por reerguê-la. “Quando o acesso ao local da antiga fábrica foi liberado pela Defesa Civil e tivemos a real noção do tamanho do prejuízo, a primeira reação foi o desejo de abandonar o negócio. Mas a constatação de que nossos danos foram apenas materiais – ao contrário do que aconteceu com alguns de nossos colaboradores, que perderam, além de todos os bens que tinham, membros da família – despertou a vontade de dar a volta por cima e manter a fábrica em funcionamento”, lembra Raphael.
     Com uma pitada de sorte, especialmente na busca por instalações adequadas a produção de gêneros alimentícios que estivesse disponível para aluguel, a fábrica pôde ser rapidamente remontada em novo local e em um curtíssimo período de tempo, ainda que com a produção se desenvolvendo em caráter emergencial.
     Com a mudança, o espaço triplicou e a capacidade de produção do carro chefe, o patê do tipo fois gras, e de outros produtos – a lista engloba ainda pães de alho e pastas à base de soja com diferentes sabores – também foi multiplicada graças a investimentos em maquinário. Atualmente, são confeccionados por mês 3 mil quilos de patê à base de fígado de frango e um dos projetos em andamento é o lançamento da iguaria preparada com o miúdo de outro tipo de ave, com um sabor mais apurado e que se aproxima mais do fois gras original.
     “Estamos em uma fase de pesquisas para verificar se podemos usar a denominação fois gras para este produto, uma vez que o original francês é confeccionado com o fígado de ganso e estamos utilizando o de marreco, que é da mesma família. Com o resultado da pesquisa e a tabela nutricional pronta vamos poder confeccionar o rótulo para lançar este novo produto no mercado”, conta o empresário.
     A princípio, a novidade será disponibilizada apenas em embalagens institucionais, em formas de 1Kg, para a comercialização em restaurantes, buffets, hotéis e pousadas de todo o estado do Rio de Janeiro, mas Raphael não descarta a possibilidade de venda no varejo: “se o sucesso que estamos esperando se concretizar, vamos disponibilizar o produto também para o cliente final”.
     Por enquanto, é possível para todos os públicos encontrar nas delis e mercados do Rio de Janeiro os patês de fígado de frango, nos sabores tradicional, pistache, tomate seco, amêndoas, ervas finas e pimenta; as pastas, à base de soja, de truta defumada, azeitonas pretas, cebolinha francesa, tomate seco e alho com ervas finas; e os pães de alho, nas versões branco e integral.
Coisas da Fazenda
(24) 2222-9213
(21) 3543-0269
www.coisasdafazenda.com


Voltar Próxima matéria


Estações de Itaipava © Todos os direitos reservados