No atelier do ar­tista, as peças Ganesha (2m x 1,5m), Xamã (2m x 1,5m), na prancheta, ainda em fase de finalização, e Fractal (3m x 2,5), com um incrível efeito tridimensional, são alguns dos trabalhos de Ralf disponíveis para venda ou aluguel


O painel “Xamã” ostenta o termo All my relations, expressão que reflete a crença da maioria das tribos indígenas norte-americanas de que tudo no universo está conectado


O artista busca inspiração em temas místicos ou religiosos – como o Ganesha, considerado o mestre do intelecto e da sabedoria no hinduísmo – para criar seus painéis

As mandalas, como a que estampa a obra Estrela de Davi (1,5m x 0,80m), são temas que aparecem com frequência no trabalho de Ralf, que também produz móbiles e outras peças para a cenografia de eventos


O painel ET (0,80m x 0,60m) confeccionado com linhas em moldura em madeira, foi produzido para o evento Underground, em Juiz de Fora

foto: Leo Chaves
A obra Cosmos (6mx3m) foi um dos elementos utilizados na cenografia do Subversos, um conceituado evento de Psy-trance (vertente da música eletrônica), realizado periodicamente no Rio de Janeiro


A inspiração pode vir de qualquer parte, inclusive de livros de biologia: o painel Mitocôndria (2m x 2m) representa uma visão macro de um organismo vivo

foto: divulgação
Detalhe do painel Cavalo marinho (6m x 1,5m)

foto: divulgação
Grafite em muro da Rua Atílio Marotti, em Petrópolis

foto: divulgação
No evento MoLA – Mostra Livre de Artes, realizado em novembro de 2012, no Circo Voador, Rio de Janeiro, Ralf apresentou seu trabalho em tinta flúor na instalação cênica Metamorfose Volante. A Kombi, também usada como um bar ambulante, foi ainda palco das performances da artista Juliana Sansana


foto: divulgação


foto: divulgação
Palco do Illusion Festival, realizado em setembro de 2012 no município mineiro de Mathias Barbosa

Fotos: Henrique Magro


Especial

Na maior vibe!

Baladas em tons fluorescentes

     A cena eletrônica não seria a mesma sem o talento de artistas que trabalham no back­stage para criar os cenários psicodélicos e deslumbrantes que emolduram grandes festivais, raves e baladas em geral. E não é que um dos mais solicitados e prestigiados destes profissionais é daqui? O jovem Ralf Dantas Funger, um artista autoditada que começou a desenhar ainda criança, cria em seu ateliê no Centro de Petrópolis, o Ralf Life Art, peças temáticas para a montagem de cenários em diferentes eventos, especialmente os de música eletrônica, realizados em todo o Brasil e ainda produz obras para a decoração de festas e ambientes residenciais.
     Seus trabalhos já foram vistos em importantes acontecimentos do universo eletrônico como o Festival Universo Paralello, realizado anualmente na Bahia durante sete dias consecutivos; várias edições da festa Euphoria, a maior do gênero no Rio de Janeiro; o Illusion Festival , em Juiz de Fora (MG); e também em festivais “eletrônico-evangélicos”, em que os temas psicodélicos ou místicos, normalmente presentes em suas obras, cedem lugar a representações artísticas da natureza. “Geralmente, peço ao cliente que indique o tema para poder realizar um trabalho completo de cenografia em torno dessa ideia central e criar o clima desejado por ele”, comenta.
     Os cenários produzidos por Ralf são compostos, basicamente, por painéis de grandes dimensões confeccionados em tecido e tinta fluorescente. Em muitos deles aplica técnicas que produzem efeitos tridimensionais, ao estilo Op Art – uma corruptela do inglês Optical Art, que simboliza a arte que explora o uso de ilusões óticas. A vivência da cultura hip hop – ele é também praticante de skate e iniciou a carreira nas artes visuais com o grafite – foi o que o levou a conhecer e adotar a técnica. Mas seu trabalho não se resume apenas à pintura; móbiles, origamis e outras peças decorativas saem também de seu ateliê. Para a caracterização dos espaços, o artista produz ainda panos pintados à mão para cobertura e revestimento interno de toldos e tendas e muitos outros elementos cenográficos.
     “Minhas principais influências são os ar­tistas Andrew Coyne, inglês radicado no Brasil há cerca de 15 anos, e o também petropolitano Eduardo Tristão. Conheci ambos em um festival em Angra dos Reis (RJ), onde fui com Dario Capua, outro artista alternativo, estabelecido em Itaipava, que me influenciou e ajudou bastante. Depois disso nunca mais parei de trabalhar com a tinta flúor. Chegamos a formar juntos o grupo Arte Divinorium, que durante uns cinco anos foi responsável pela montagem de vários eventos em todo o Brasil”, conta. Não só os tecidos servem de matéria-prima para o artista. Na última edição da MoLA – Mostra Livre de Artes, realizada no Circo Voador, no Rio de Janeiro, em novembro de 2012, a superfície utilizada para o trabalho apresentado foi uma Kombi. No bairro onde mora, aproveitou um extenso muro para expor sua arte em grafite.
     A produção de Ralf pode ser vista com frequência em eventos alternativos que reúnem diferentes manifestações artísticas. Uma de suas participações mais recentes foi na terceira edição do Grito Rock Petrópolis, realizado durante o Carnaval 2013 na cidade como alternativa à folia, que reuniu trabalhos de artistas dedicados às artes plásticas, além de música, fotografia, poesia, tatuagem e moda.
     Todas as obras do acervo do artista estão à disposição para venda ou aluguel e ele também produz, sob encomenda, pinturas em paredes residenciais ou comerciais e espaços públicos.

Ralf Art Life
(24) 8802-7683
www.fotolog.com/ralf_life
ralftz@gmail.com
facebook.com/ralflifeart


Voltar Próxima matéria


Estações de Itaipava © Todos os direitos reservados