Na casa de Araras, Clara compôs a maioria das canções de seu primeiro CD


O palco do Faustino, em Itaipava, também é frequentado pela cantora, que se apresentou ali com o Duo Gaia em março de 2015


Para o lançamento do CD estão previstos shows também na pousada Locanda della Mimosa, no Vale Florido, onde, em maio deste ano, Clara fez participação especial em show de Leoni


Fotos: Branca Mattos




Perfil

Clara Gurjão

Prestes a lançar seu primeiro CD, cantora agenda shows na cidade em que foi criada e que elegeu como refúgio

     Canções que nasceram em Araras – lugar onde moram seus pais e que visita com frequência para recarregar as energias, além de buscar inspiração para as composições – integram o repertório do primeiro álbum da jovem cantora Clara Gurjão. Ainda em fase de produção, o disco, essencialmente autoral, tem previsão de lançamento para setembro de 2015 e a agenda de shows que celebram esta nova fase inclui casas petropolitanas como o Nucrepe, que já a recebeu em outras ocasiões; o Tamboatá, que passa por reformas, mas já reservou apresentações suas para a reinauguração; e a pousada Locanda della Mimosa, onde, recentemente, fez participação especial em um show de Leoni.
     Desde cedo, Clara vem construindo sua carreira em bases muito sólidas e hoje, aos 27 anos, ostenta um currículo musical invejável. Além de compositora, cantora e violonista – com participações em diferentes grupos; entre outros, o Duo Gaia, com Mariana Guedes, e o trio Violeiros Urbanos, com Humberto Amorim e Leonardo Moreira, em paralelo ao trabalho solo – tem bacharelado em Música Popular Brasileira, com habilitação em Arranjo, pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio) e atua ainda como professora de música e produtora.
     Seu talento como musicista já teve, inclusive, reconhecimento internacional. Em 2012 foi selecionada por um importante programa do governo sueco (Linnaeus-Palme) para estudar música na Universidade de Örebro, Suécia. Durante seis meses ela integrou o time de estudantes do bacharelado em Jazz/Rock de uma das mais renomadas instituições de ensino superior do país. Durante esse período, também ministrou workshops sobre MPB para estudantes de música e fez shows pela Europa.
     A receptividade do público nas apresentações em cidades europeias chegou a surpreendê-la. “Fui muito bem recebida lá; o público é muito aberto a novas propostas e todos demonstram grande interesse, respeito e carinho pela música brasileira. A apresentação que fiz na FNAC de Lisboa, um espaço tradicional com ótima programação de shows, teve lotação esgotada e, no final, várias pessoas vieram falar comigo e pedir para tirar fotos”, conta entusiasmada.
     Na volta ao Brasil, teve a oportunidade de exercitar suas habilidades musicais fora dos palcos. Em 2013 trabalhou como assistente de arranjo e produção musical com o conceituado maestro e arranjador Eumir Deodato e com Kassin, um dos mais importantes produtores musicais da atualidade, no projeto Nívea Viva Tom, em que a cantora Vanessa da Mata homenageou o compositor Tom Jobim em uma série de shows nas principais capitais brasileiras.
     No mesmo projeto pôde também trabalhar junto a grandes nomes da música brasileira como Wagner Tiso, Maria Bethânia e Caetano Veloso, de quem é fã confessa e que considera uma de suas grandes influências musicais. Uma das poucas faixas do CD em produção que não leva sua assinatura é uma versão em ritmo mais acelerado da canção Muito, lançada em LP do mesmo nome, em 1978, pelo baiano. Gilberto Gil, Chico Buarque e Tom Jobim estão também entre os compositores que considera importantes para sua formação, assim como expoentes da música pop americana.
     Enquanto aguarda a finalização do CD em que irá mostrar sua faceta como compositora, continua nos palcos com shows em que o repertório é quase integralmente dedicado a clássicos dessas e de outras feras da MPB, mas que inclui também sucessos internacionais, como Black or White, Michael Jackson, em uma versão bossa-nova. “Esse é um dos exemplos do que gosto de tocar em shows; a união entre gêneros musicais que fizeram parte da minha formação. E é muito bom ver que o público se identifica e canta junto”, acrescenta.
     A agenda de shows em Petrópolis cresce a cada dia; mas sua ligação com a cidade, entretanto, é bem mais antiga. Aqui, Clara passou boa parte de sua infância e agora festeja a ampliação do número de espaços para shows. “Atualmente, além de vir para descansar e compor, tenho tido mais oportunidades de contatos com os músicos locais e ainda de apresentar meu trabalho com maior frequência aqui”, diz.
     Que venham mais shows e muitos outros álbuns com a marca que Clara – artista versátil e com uma sólida formação, que a capacita a tomar todas as decisões musicais de sua carreira – imprime nas canções: uma visão contemporânea, sensível e crítica sobre a vida e a arte.

Clara Gurjão:
www.facebook.com/claragurjao.musica
Contato para shows: (21) 98203.8182


Voltar Início


Estações de Itaipava © Todos os direitos reservados