Fotos: Henrique Magro e Evandro Jr.




Especial

Emoções emolduradas



     Divertido, espirituoso e emotivo. Esses são os três aspectos que em primeiro lugar chamam a atenção sobre a personalidade do artista Evandro Jr. E sim, claro, sobressaem-se ainda os excepcionais talento e senso estético - elementos indispensáveis de que usa e abusa para unir, muito harmoniosamente, experiências, lembranças e sensações em quadros produzidos com os mais diversos tipos de materiais e inspirações.
     Sua produção – que gosta de definir como “artesanato com leitura de arte, sem compromisso com qualquer escola” – é grande e as obras, de delicadeza e sensibilidade extremas, espelham bem sua visão descomplicada acerca da vida, da natureza e do amor. Evandro descreve suas criações como “um trabalho de assemble, uma montagem que busca o equilíbrio entre textura, forma, cor e volume”. Mas é o olhar técnico, que nele é bastante aguçado, o agente responsável pela transformação de objetos aparentemente banais que garimpa em brechós, ou onde quer que estejam, em arte.
     Oriundo da moda – mercado em que atuou como estilista por muitos anos, antes de mudar-se do Rio de Janeiro para cá –, o cearense de Maranguape tem tamanho reconhecimento de seu trabalho na cidade que adotou como lar há 16 anos, que em março de 2015 recebeu o título de cidadão petropolitano. O reconhecimento não é à toa, são incontáveis os restaurantes, pousadas e residências da região de que incluem obras suas na decoração.
     A identificação de sua produção pelo observador é tão imediata que Evandro acabou por tornar-se um artista com a “cara de Itaipava”. De Araras, localidade onde mora (na adorável companhia dos cães Pedro Henrique e Jesus) e mantém seu ateliê, saem peças confeccionadas com elementos tão inusitados como ovos de avestruz, talheres e metais enferrujados, garrafas, rolhas, peças que desenha e manda produzir em diferentes materiais (cerâmica, por exemplo) e até plantas artificiais, mas a primeira inspiração veio mesmo da natureza viva nativa.
     “Admirando a beleza das coisas simples – como um galho seco ou as diferentes tonalidades do azul céu e do verde das plantas – da varanda de casa, tive uma espécie de epifania, um verdadeiro encontro com Deus, que impulsionou essa necessidade de criar, sem a pressão e o ineditismo absurdos impostos pelo mundo da moda”, lembra.
     O passo seguinte foi a exposição e a comercialização das obras na feirinha de artesanato do Hortomercado Municipal, onde manteve um ponto por seis anos. Do pequeno espaço para a conquista de novos e grandes mercados foi um pulo; hoje, através da venda pelo site, as peças são encontradas em várias partes do Brasil – todas as 80 lojas rede de franquias Avatim - Cheiros da Terra, espalhadas por todo o país e especializada em fragrâncias e cosméticos, por exemplo, são decoradas com seus quadros – e do mundo.
     Mostras realizadas nas cidades de Nova Iorque e Paris (ele já expos duas vezes em cada uma das metrópoles americana e francesa) contribuíram para estabelecer o nome do artista no cenário internacional. Até o Papa Francisco, quando esteve aqui para a Jornada Mundial da Juventude de 2013, já foi presenteado com um de seus quadros, por encomenda de Dom Orani Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro.
     Entretanto, Evandro não dá grande importância à notoriedade do cliente e sim a sua capacidade de entender e se emocionar com as obras. Um nicho que descobriu recentemente, inclusive, privilegia justamente o envolvimento entre o sujeito e o objeto. Agora, ele aceita encomendas de quadros que reú­nem e celebram memórias pessoais. “A ideia partiu de uma cliente que me trouxe uma série de recordações de uma tia querida para serem emolduradas”, conta. Com esses objetos – fotos, bilhetes, caixinhas, pedaços de tecidos e outros – somados a sua criatividade e sensibilidade, criou um inédito relicário; o resultado foi tão satisfatório que acabou por ensejar novas criações personalizadas com o mesmo estilo.
     Para conhecer melhor o conjunto da obra, uma visita ao ateliê é fundamental. Para entender como objetos tão diversos e triviais se combinam tão bem em uma única peça (que é, sobretudo, uma peça única), um bate-papo com o artista – capaz de se emocionar até as lágrimas a cada lembrança de um amigo que já partiu ou a gestos de afeto marcantes que já recebeu – é imprescindível. Mas prepare-se para rir um bocado também: ao mesmo tempo em que saudades vêm à tona, uma série de histórias divertidas, narradas com muita espirituosidade, um dos traços mais marcantes da personalidade do artista, esperam aqueles que apreciam uma boa conversa.

Ateliê Evandro Jr: Rua Professor Veiga, 201 – BR-040, Km 65 (em frente à entrada de Araras)
(24) 2221.4514 | 98811.8080
www.evandrojr.com.br
ejr@evandrojr.com.br


Voltar Próxima matéria


Estações de Itaipava © Todos os direitos reservados