As bancas de trabalho são integradas à loja e permitem o acompanhamento da manufatura das joias


As criações de Márcio Sodré combinam diferentes pedras e materiais à prata

Entre as peças de Gisela, a linha de anéis masculinos


A combinação entre a madeira e a prata é a especialidade de Gabriela Gon


Os alunos do Atelier da Joia também demonstram talento e criatividade; a gargantilha foi confeccionada por Cristina Braga
Foto: Márcio Sodré

Também por Gisela o superfeminino conjunto de anel e brincos

Marcio e Gisela inauguraram sua loja com o conceito de “oficina viva” em 2016 e desde então formam novos profissionais na cidade

Fotos: Henrique Magro




Negócios nas alturas

Atelier da joia

Oficina viva de ourivesaria reúne acervo de criações próprias, além de oferecer workshops e cursos

     Já imaginou criar, literalmente, junto com seu amor, a aliança que simboliza o compromisso do casal? No Atelier da Joia, em Itaipava, é possível realizar este ritual que, sem dúvida alguma, entrará para a galeria de momentos inesquecíveis dos pombinhos. O workshop, com três horas de duração e orientação dos sócios e ourives Márcio Sodré e Gisela Wider, é dividido em seis etapas – apresentação do ouro em estado bruto, fundição do metal, moldagem, fechamento da forma dos anéis, acabamento e finalização com ajustes – que resultam na confecção de peças mais do que exclusivas. Os que desejam imortalizar o acontecimento podem levar um fotógrafo para registrar as imagens.
     O encantador mundo da ourivesaria não fica restrito apenas a casais. Com o conceito de “oficina viva”, o ateliê oferece a todos a possibilidade de observar os processos da fabricação da joia ao vivo e em cores. As bancas de trabalho ficam integradas ao ambiente da loja e os métodos de manufatura podem ser vistos pelos interessados. Para os que desejam aprender os segredos dessa alquimia, Márcio e Gisela, de forma pioneira na cidade de Petrópolis, realizam cursos no local.
     “Aqui temos uma maneira livre de ensinar, sem muito didatismo. No primeiro módulo, os alunos aprendem o básico – derreter, cortar e laminar o metal – e, em seguida, sempre com nossa orientação, começa a desenvolver as técnicas de manufatura de acordo com os modelos que deseja produzir”, explica Gisela, integrante da última geração de uma família com grande tradição no ramo. Os outros dois módulos são dedicados à criação, design, cravação e outros processos mais delicados que exigem maior habilidade. “Posteriormente, os alunos podem fazer outras especializações, mas com este curso inicial já se habilitam a fabricar as próprias peças”, acrescenta.
     Vinda da Hungria, a família Wider sempre trabalhou com joias e o avô de Gisela fundou aqui, mais precisamente em Araras, a Jopebrás – Joias e Pedras Brasileiras, uma grande fábrica voltada para a lapidação de pedras e desenvolvimento de uma linha exclusiva de joias em ouro. Foi ali que Gisela começou a tomar gosto pelo ofício, antes de unir o aprendizado prático a um curso de formação em Design. “Passei a vida inteira observando e praticando; agora, transmito, com muito prazer, essa tradição aos alunos do ateliê”, conta. Atualmente, a oficina conta com 12 alunos, divididos em seis grupos, e já existe uma fila de espera para o curso. Como os processos e materiais utilizados exigem bastante cuidado e atenção para que não ofereçam riscos, todos são acompanhados bem de perto por Gisela ou Márcio, que se revezam na orientação das práticas para as diferentes duplas que ocupam as bancas de trabalho. A duração do curso básico, que oferece certificado, é de nove meses, mas há ainda um específico para o aprendizado de técnicas de lapidação, ministrado por Márcio, que já atraiu, inclusive, alunos de São Paulo e Porto Alegre.
     Com formação no segmento de joalheria, conquistada em três anos de um curso realizado na cidade mineira de Ouro Preto – onde se especializou em ourivesaria, lapidação e gemologia – Márcio, natural de Florianópolis, já trabalhou com diferentes formas de arte, incluindo a escultura e a cerâmica. Há cerca de três anos, mudou-se para Petrópolis e montou um ateliê em sua própria casa, mas sentia falta de interagir com outros profissionais e desde que chegou aqui buscou parceiros para desenvolver o ofício.
     “Produzir sozinho sempre me deixou entediado; então, resolvi procurar parceiros locais pelas redes sociais e acabei fazendo amizade com a Gisela, o que resultou na abertura do Atelier da Joia neste atual espaço, no começo de 2016”, relembra o ourives. Agora, para celebrar os dois anos de funcionamento da loja, os sócios planejam uma exposição em que serão apresentadas as joias produzidas pelos alunos da oficina. “Este trabalho precisa ser visto; há peças maravilhosas desenhadas e manufaturadas por eles. Alguns já comercializam suas criações e chegam, em pouco tempo, até a superar o investimento feito no curso”, elogia.
     Além dos cursos que ministram e das peças artesanais próprias, em estilos que se complementam, Gisela e Márcio – que contam ainda no ateliê com a colaboração de Gabriela Gon, companheira de Márcio – também prestam serviços de criação, reprodução, conserto, reforma, reciclagem, banhos e lapidação.


Atelier da Joia:
Estrada União e Indústria, 11.811 Shopping Vila Provence/loja 12 Itaipava
(24) 2232.0166
facebook.com/AtelierDaJoiaItaipava



Voltar Início


Estações de Itaipava © Todos os direitos reservados