Fotos: Henrique Magro




Arte & cultura

Santo remédio!



     Quer curar solidão, melancolia, ansiedade ou qualquer outro mal que o aflija? Experimente doses diárias de leitura. E se as sessões da “medicação” acontecerem em uma livraria – daquelas de verdade e não as virtuais ou as do tipo megastore – a cura é garantida. Para os quadros graves, a prescrição para um real tratamento de choque é que se busque um espaço como a Gallerya Bookshop.
     Inaugurada em novembro de 2018, no Shopping Estação (ao lado do cinema), pelos sócios Anna Valle e Adriano Kneipp, a Gallerya trouxe para Itaipava o verdadeiro, e já meio esquecido nos dias atuais, conceito de livraria: um ambiente de acolhimento, que abraça calorosamente todos os que atravessam suas portas para encontrar os múltiplos universos distribuídos pelas estantes.
     Os encontros são mágicos, pode acreditar. Não apenas os que acontecem entre o leitor e a obra – e que às vezes causam um impacto avassalador, capaz de transformar para sempre corações e mentes –, mas também aqueles que unem as pessoas. Foi justamente por acreditar no potencial do lugar para promover a integração entre indivíduos e principalmente estimular a hoje tão escassa e necessária educação literária da população brasileira que os parceiros conceberam sua livraria como uma espécie de santuário da literatura.
     Não foi à toa que optaram por fazer uma espécie de rebaixamento do teto da loja com a utilização de livros, o que confere uma certa sacralidade a esses objetos, que pairam sobre as cabeças de quem está no interior da pequena (apenas no tamanho) livraria. Com o propósito de fomentar a integração, montaram uma extensa agenda de eventos voltados para a aproximação de leitores com autores, por meio de debates, sessões de leitura e até dramatizações de trechos de obras.
     “Sempre acreditei neste formato de livraria, como era antigamente: um lugar intimista, em que o livreiro está presente e o cliente pode con­sulta-lo à vontade. Além do que, é muito gratificante para nós poder acompanhar a caminhada literária do amigo leitor e ainda ajudar a formar novas amizades. Porque a literatura é infinitamente cheia de possibilidades, cura qualquer um destes males modernos, como estresse ou depressão, e ainda tem este lado de fazer construir amizades”, comenta Adriano.
     A dupla também criou programas, ainda sem data definida para o início, que têm por objetivo transportar a livraria para além de suas quatro paredes. Um deles, a Consultoria literária, prevê a entrega semanal em domicílio de uma caixa com os lançamentos que estão na área de interesse dos clientes para que eles possam escolher com toda a tranquilidade os que vão adquirir.
     Outro deles é dirigido a crianças e jovens; A livraria vai à escola pretende reproduzir o ambiente da livraria no âmbito escolar com frequên­cia bem maior do que a praticada pelas costumeiras feiras anuais; a ideia é que seja realizado pelo menos a cada dois meses para que os jovens tenham efetivamente a oportunidade de cultivar o hábito da leitura. “Para que a sociedade possa formar indivíduos pensantes, pessoas que realmente vão fazer diferença no mundo, é preciso que se comece fazendo com que as crianças desenvolvam o amor pela leitura e, de preferência, com o livro físico. Por isso a importância da presença mais constante da livraria nas escolas. Além de ocupar o ambiente escolar com os livros, também queremos que se apropriem de nosso espaço e por isso, abrimos a Gallerya para festas de aniversário que tenham como temática a literatura”, anuncia Anna.
     A parceria estabelecida entre Anna e Adriano – ela, professora primária e designer de interiores que sempre esteve envolvida em projetos culturais e agora se declara encantada pelo universo da ilustração, especialmente de obras voltadas para crianças; ele, com formação em filosofia, história e administração e uma bagagem de 26 anos de mercado como livreiro – resulta na completude que se espera de uma livraria. Não somente pela visão que ambos compartilham acerca da importância da leitura na formação dos indivíduos, mas por também por seus interesses individuais.
     Enquanto Anna volta seu olhar principalmente para a literatura da infância (ela explica que este é o termo adequado, ao contrário de literatura infantil como se costumava dizer), Adriano dirige o foco, com especial atenção, aos novos autores cuja produção é de alta qualidade e que não necessariamente estão vinculados às grandes editoras. Bons exemplos desta nova leva de talentos literários são Francisco Azevedo, autor do romance Arroz de Palma, e Juliana Leite, petropolitana que com a obra Entre as mãos, venceu o Prêmio Sesc de Literatura 2018 na categoria romance. Ambos estão na lista da Gallerya para a participação nos eventos, que acontecem na livraria com formatos bem diferentes dos convencionais.
     “O nome Gallerya remete às livrarias portenhas do período da ditadura na Argentina, país que vinha de uma experiência de livre produção literária, fazendo com que escritores do mundo todo acorressem a Buenos Aires para poder, com liberdade, produzir suas obras. As “galerias” eram, portanto, espaços de resistência literária naquele momento sombrio atravessado por eles”, explica Adriano. A Gallerya Bookshop é um perfeito exemplo desta resistência e funciona como um medicamento sem contraindicações; use e abuse sem qualquer moderação.

Gallerya Bookshop:
Estrada União e Indústria, 11.000 – Shopping Estação Itaipava – loja 102
(24) 2232.0013
www.facebook.com/Gallerya-Bookshop



TOP 20 DA GALLERYA BOOKSHOP
Confira as listas elaboradas por Anna e Adriano com recomendações preciosas de literatura para a infância e de produções de novos autores que merecem a sua atenção.

Para os miúdos:
Adélia - Jean-Claude Alphen (Pulo do Gato)
A avó amarela - Julia Medeiros/Elisa Carareto (Ôzé) 
O homem que amava Caixas - Stephen Michael King (Brinque-book) 
Chão de Peixe - Lúcia Hiratsuha (Pequenazahar)
Pedro e Lua - Odilon Moraes (Jujuba) 
Olavo - Odilon Moraes (Jujuba) 
A menina dos livros - Oliver Jeffers / Sam Winston (Pequenazahar) 
Obax - André Neves (Brinque-book) 
Um dia, um Rio - Leo Cunha/André Neves (Pulo do gato)
Blimundo o maior boi do mundo - Celso Sisto / Elma Maria Neves da Fonseca (Rocco)

Para os leitores ávidos por novidades:
Arroz de palma - Francisco Azevedo (Record)
Liturgia do fim - Marilia Arnaud (Tordesilhas)
Janelas irreais - Felipe Charbel (Relicário)
Entre as mãos - Juliana Leite (Record)
Textos crueis demais para serem lidos rapidamente - Coletivo literário (Globo)
Becos da memoria - Conceição Evaristo (Pallas) 
O sol na cabeça - Geovani Martins (Companhia das Letras)
Volume do silencio - João Anzanello Carrascoza (SESI)
Defeito de cor - Ana Maria Gonçalves (Record)
Nobre sequestrador - Antonio Torres (Record)


Voltar Próxima matéria


Estações de Itaipava © Todos os direitos reservados